quarta-feira, 18 de junho de 2014




Mudanças de Características dos Personagens



Ao longo de todos esses anos de Turma da Mônica, é raro que um personagem tenha mantido as suas características originais desde que foi criado. Nessa postagem, pretendo mostrar algumas mudanças que alguns deles sofreram.

O Dudu, por exemplo, estreou como vizinho da Magali, que acabara de ganhar uma revista própria, e precisava de núcleo. Vieram então os Moreno. Dudu era o oposto da gulosa. Em suas historinhas, ele sempre arranjava um jeito de não comer: ou jogava o almoço pela janela, ou enterrava ( ! )...
 
Hoje em dia, isso tudo é considerado "politicamente incorreto" nas revistinhas. Então, infelizmente, não vemos mais essas histórias engraçadas do pequeno tentado se livrar da comida. A MSP acha que, ao ver o exemplo, as crianças podem tentar fazer o mesmo. Eu discordo. Acho que esses exageros ficam restritos á revista, e ninguém vai sair por aí estragando alimento porque leu uma Hq. 

Ele hoje, está muito diferente, perdendo seu jeito clássico. É primo da Magali, e se tornou mimado e irritante. Roteiros com o garoto agora normalmente envolvem uma história que a Magali tenta contar e ele fica implicando, ou ele atazanando a vida dos outros.

Eu particularmente acho que seria melhor criar um personagem diferente do que descaracterizar totalmente esse. A mudança de personalidade (para pior), estragou o Dudu.


 
Outra que mudou bastante foi a Dona Morte. Ela surgiu muito obscura, envolta em sua mortalha, com a foice na mão, e apenas os dois olhos aparecendo na face sombria. Esse formato e o que veio depois (meio listrado, como se fosse uma sombra), foram os mais certos. Afinal, ela era a Morte. Não precisava ter forma nenhuma. Depois ela perdeu as listrinhas e ficou com a cara branca, como um fantasma. E mais tarde ainda ganhou umas covinhas, ficando com a aparência de uma caveira. Hoje ela está RIDÍCULA. Já não mata ninguém (o "politicamente incorreto" de novo) e seu visual está horrível. Confira por si só:

 




 Nico Demo era a ovelha desgarrada. Suas "boas ações" faziam mal ás pessoas (De propósito? Quem sabe? Isso nunca ficou claro). As muitas reclamações que Maurício sofreu pelo personagem o fez "amenizar" seu modo de ser. Mas como a maledicência ainda continuou muito forte, ele optou por apagá-lo de vez. 

Alguns anos atrás, eis que Nico Demo volta, em historinhas mudas e de apenas uma página, principalmente nos gibis da Magali. (Ele na verdade, nunca falou, a não ser uma só vez, em um comercial antigo da Cica). Mas veio tão bobinho e parado, que nem valeu a pena. Suas histórias não tinham nada de mais, nem divertiam. Novamente, uma descaracterização. Seria melhor se ele nunca tivesse voltado, e conservasse sua essência como sempre foi.
 

 Chico Bento nasceu como o matuto ingênuo, bobalhão, que era passado por todo mundo. Era o personagem secundário do núcleo Hiro e Zé da Roça. Com o tempo, ele criou tanta popularidade que inverteu os papéis, passando a ser o central - e nada bobo. Ele é hoje uma criança ativa e feliz da Vila Abobrinha, embora não tenha perdido sua preguiça na hora de lidar na roça. Para assumir seu jeito de ser inicial, nasceu o Zé Lelé.

Cascão era originalmente o moleque que vivia dentro das latas de lixo, ou passeando no lixão do bairro. Fazia as maiores peripécias para escapar do banho, e nunca havia tido contato com a água. Mas tudo mudou (Adivinha por causa de quê?). Ele nunca mais se escondeu dentro das latas, nem passeou em meio ao lixo. Pior: o garoto que antes adorava viver em meio a imundície passou a gostar de ver tudo limpo e bem arrumado. Só ele continuou sujinho por "estilo". Mas não por muito tempo...

Algum tempo depois, novas mudanças foram feitas para acabar de vez com o Cascão. Ele agora lava as mãos sempre, antes de cada refeição, e na Turma da Mônica Jovem, toma banho como se nada tivesse acontecido.  Achei errado. É bobo demais fazer ele lavar as mãos e ter o maior medo de tomar banho. Antes ele tinha medo do contato com a água, e fazia todo o sentido Mas agora?

Os pais dele, que antes eram sujinhos tal qual o filho, passaram a ser limpos. E o Capitão Feio (originalmente tio dele) também mudou. Se antes era seu divertimento atacar e fazer mal a turminha (o que provocava indignação no Cascão), hoje seus planos são de poluir o mundo inteiro (e é isso que hoje, indigna ele).

Infelizmente, não veremos mais comentários como esse, por exemplo:

- "Eu até que acho o senhor bem legal por querer sujar o mundo e tal, mas não faça mal aos meus amiguinhos!"










 http://photos1.blogger.com/blogger/2732/2502/1600/42.jpg
 Conclusão: com o passar do tempo, a Turma da Mônica foi descendo uma ladeira. Histórias divertidíssimas com seus personagens excêntricos ao extremo já não são mais possíveis como eram antes, justamente porque essa excentricidade vem sendo cortada. Com isso, a qualidade vai caindo.

E isso não era nunca para ser mudado. As crianças de hoje são iguais ás de antigamente. Não são mais burras, a ponto de não diferenciar a fantasia da realidade. E se antigamente isso era tão comum e tão legal, porque teve de mudar? Porque não conservou o mesmo formato?

Muito do que era divertido se perdeu nesse caminho. E eu deixo como dica para vocês toda a fase na Editora Abril e o começo na Editora Globo. São as melhores.

Tina e Rolo eu resolvi separar para uma postagem á parte. Esses  passaram por diversas fases. 









5 comentários:

  1. A 2° e a 4° imagem foram retiradas do blog Arquivos Turma da Mônica. Para ele vão os créditos e os direitos.

    ResponderExcluir
  2. Tá legal o blog, aos poucos vc vai conseguir mexer melhor. Com certeza, os personagens perderam muito com esse maldito politicamente correto. Uma pena estar assim.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, muito está se perdendo com esse "politicamente incorreto". Obrigado pelo comentário e pelo elogio ao blog!

      Excluir
  3. Como sugestão, vc podia desativar a opção de códigos pra colocar algum comentário aí.

    ResponderExcluir